Qualificando a representatividade: conselheiros dos trabalhadores no CN-SESI avançam em programa de formação

Workshop em Brasília fortalece conhecimentos em Educação, Saúde e Segurança no Trabalho (SST)

Por: Robson Gomes
27/05/2024 - 16:20
Qualificando a representatividade: conselheiros dos trabalhadores no CN-SESI avançam em programa de formação
Roberto Ferreira

O ciclo de atividades de imersão organizado pelo Conselho Nacional do SESI (CN-SESI), voltado para a representação dos trabalhadores, ocorrido em Abril, na sede do colegiado em Brasília foi idealizado para aprimorar a participação dos representantes dos trabalhadores no colegiado. Nessa etapa do Programa de Formação aos Conselheiros Representantes dos Trabalhadores no Conselho Nacional, as oficinas foram estruturadas com foco em Educação e Saúde e Segurança no Trabalho (SST).

A conselheira Cida Trajano e os conselheiros Rogério Jorge de Aquino, Artur Bueno de Camargo, Quintino Marques, Herbert Passos Filho e Celio das Neves, chegaram com comprometimento na segunda etapa do Programa de Formação dos Conselheiros Representantes dos Trabalhadores. 

Nesta fase em Brasília, o programa contou com a expertise dos representantes do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE, Adriana Marcolino, coordenadora de produção técnica, Reginaldo Muniz Barreto, coordenador, e Altair Garcia, analista. 

Os professores Gilberto Alvarez Giusepone Júnior e Robson Alves dos Santos, da Saberes Serviços Educacionais, deram continuidade em Brasília ao trabalho inicial de 2 de fevereiro, primeira fase do programa, com o workshop sobre aspectos gerais da educação, realizado na sede da Federação das Indústrias São Paulo (FIESP). 

O evento foi prestigiado ainda pela presença do superintendente de Saúde e Segurança na Indústria do SESI, Emmanuel Lacerda, que fez uma apresentação sobre a atuação do Serviço Social da Indústria no campo da saúde. De acordo com os dados apresentados pelo superintendente, sobre a operação em SST no ano passado, o SESI se destaca vomo o principal agente privado do país nesta área. Em 2023 foram 63,2 mil empresas atendidas, sendo 41,6 mil indústrias, e 3.2 milhões de pessoas, sendo 2,1 milhões de industriários. 

Ao final de sua apresentação, Lacerda considerou positiva a iniciativa do Conselho Nacional do SESI com a representação dos trabalhadores: “sem o diálogo e essa comunicação, não andamos”, concluiu.

No primeiro dia de trabalho na sede do CN-SESI, os técnicos de produção do DIEESE guiaram o Módulo I, abordando dados, aspectos conceituais, bases legais, políticas e estruturas operacionais da Saúde do Trabalhador (ST) e da Saúde e Segurança do Trabalho (SST), com ênfase na cronologia da legislação sobre o assunto. Reginaldo Muniz Barreto, coordenador do DIEESE, apresentou um compilado cronológico da legislação e convenções, sobre Saúde e Segurança no Trabalho, e outros normativos correlatos.

Adriana Marcolino, coordenadora de produção técnica do DIEESE, apresentou dados atualizados sobre o mercado de trabalho. Adriana destacou o fenômeno da ampliação da distribuição geográfica da indústria no território nacional nas últimas duas décadas, com o crescimento das micros e pequenas empresas.  Esses dois fatores, de acordo com a especialista, geram impacto sobre as iniciativas sobre Saúde e Segurança do Trabalho. 

“Ao que diz respeito à atuação do SESI, a saúde do trabalhador é um eixo de atuação. Poder promover esse debate junto a bancada de trabalhadores, para que eles se qualifiquem, para que eles possam desenvolver estratégias, para que eles possam pensar em políticas e programas junto ao SESI como um todo, acho que é fundamental. Ganham os trabalhadores, ganha a sociedade. Quando a gente consegue de modo qualificado promover um debate tão relevante como esse”, avaliou Adriana.

A especialista defende a participação dos trabalhadores e trabalhadoras nos processos de formulação das políticas voltadas aos empregados das indústrias. 

“É um debate inovador dentro do Sistema SESI. É colocar um ator relevante naquilo que diz respeito principalmente aos trabalhadores. É a vida dele, com as condições de trabalho, as condições de vida. Esse ator é fundamental, o trabalhador representado pela bancada para discutir o tema absolutamente necessário”, considera Adriana. 

A participação de cada conselheiro foi efetiva no programa, do início ao fim da programação. Todo o conteúdo foi elaborado para ser explorado de forma interativa nas oficinas. Cida Trajano, conselheira sindicalista do ramo do vestuário, considera que esse debate importante e chama atenção para os danos que podem ser gerados pelas novas tecnologias, que avançam silenciosamente nos trabalhadores ou nas trabalhadoras. “Hoje não é só o dano físico, aparente. Hoje temos o dano mental”. 

Sobre o workshop em Brasília, considera que “trabalhar o tema Saúde do Trabalhador, no Conselho Nacional do SESI, enquanto representação dos trabalhadores é importantíssimo”. De acordo com Cida, o CN-SESI promove, com essa iniciativa, o protagonismo da representação dos trabalhadores sobre os serviços prestados pelo SESI aos seus representados. “É um momento ímpar”.

Cida e os demais conselheiros interagiram no segundo dia com Giba Alvarez e Robson Alves dos Santos, professores da Saberes Serviços Educacionais, que ministraram o módulo II do programa, com o tema: "Educação: uma discussão necessária". Diversas dinâmicas marcaram o dia, com apresentações de conteúdos e debates técnicos em torno do tema.

O grupo ainda conheceu in loco as instalações do Centro SESI de Formação em Educação, instalado no Setor Bancário Norte da cidade, para conhecer a estrutura e aprofundar a discussão sobre a Educação, encerrando a segunda etapa do programa. 

Guiados por Leonardo Lapa Pedreira, gerente de Educação Básica, os conselheiros percorreram todos os andares do centro, onde encontraram espaços modernos que convidam para a execução experimentos científicos, com aulas em ambientes que privilegiam a transdisciplinaridade e incentivam a relação do aluno com a aprendizagem.

Nas instalações construídas em 2023, iluminação que combina luz natural, proporcionada pelas grandes janelas que permitem contemplar o exterior, com luminárias de led desenhadas para garantir conforto luminoso nas atividades. Ruídos internos são atenuados pelo isolamento acústico de cada sala, o que garante a concentração de alunos e professores.

Ao final da visita, a representação dos trabalhadores retornou à sede do CN-SESI para encerramento das atividades.

Utilizamos cookies para permitir o funcionamento de nosso site e para coletar estatísticas de visitas para melhorar sua experiência de navegação. Saiba mais em nossa política de cookies ou gerencie suas permissões. Fale com nosso DPO através do e-mail: lgpd.cnsesi@cnsesi.com.br